SOBRE O CONSELHO
REGIONAL DE PSICOLOGIA

Finalidade e Competências:
O Conselho Regional de Psicologia da 10ª Região (CRP-10) é um órgão público, com autonomia administrativa e financeira e que tem por finalidade orientar, fiscalizar e disciplinar o exercício profissional nos Estados do Pará e Amapá; zelar pela fiel observância do Código de Ética Profissional e demais preceitos éticos; e contribuir para o desenvolvimento da psicologia enquanto ciência e profissão.

O CRP-10 é o órgão responsável pelo registro de profissional de psicólogas/os e de pessoas jurídicas que prestam serviços de psicologia; além de adotar as medidas e procedimentos necessários a permanente orientação, disciplina e fiscalização do exercício da profissão de Psicóloga/o. Além dessas competências básicas, o CRP-10 desenvolve um programa de educação continuada, que já beneficiou diversos profissionais e estudantes de psicologia do estado do Pará e Amapá com a realização de seminários, palestras, minicursos entre outras atividades. O CRP-10 também tem uma forte atuação por meio de suas comissões e grupos de trabalho, ampliando e reforçando o trabalho do Conselho.

Normas e Regulamentos de Criação, Alteração e Funcionamento da Entidade:
O CRP-10 foi criado com base na Lei 5.766, de 20 de junho de 1971, que criou o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Psicologia. O CRP-10 possui seu funcionamento pautado no Regimento Interno aprovado pela Resolução CFP N.º 018/2001.

Breve Histórico do CRP-10:
O CRP 10 faz parte de um sistema formado pelo Conselho Federal de Psicologia e outros 24 Conselhos Regionais distribuídos por Estados e/ou regiões. O CRP-10 tem sede no foro da Cidade de Belém com jurisdição em todo o Estado do Pará e Amapá, conforme fixado na resolução CFP N.º 004/1992. No V Plenário foi inaugurada a Seção no estado do Amapá criada através da Resolução CFP N.º 03/2001.

>>>>>>>>>>

O reconhecimento social e a inserção no mercado de trabalho de psicólogas e psicólogos brasileiros têm sido crescente nas últimas décadas. Isto, muito se deve, ao simultâneo avanço do processo de redemocratização da sociedade brasileira e, fundamentalmente, à Constituição Cidadã de 1988 que, ao estabelecer o combate às desigualdades, como objetivo da Nação, ensejou a implementação de políticas públicas. E isso, resultou no aumento da demanda pelas profissões identificadas com a promoção da cidadania e dos direitos humanos, dentre as quais, a Psicologia. Dessa forma, vemos se configurar, cada vez mais, uma identidade profissional sensível à responsabilidade social, estendendo seus saberes e práticas a um número cada vez maior de pessoas.

No momento em que vemos ganhar força na sociedade brasileira um espectro de ideias que reduzem complexas questões sociais e subjetivas a “casos de polícia”, pugnando por soluções simplistas e autoritárias que prescindem da abordagem reflexiva que caracteriza o trabalho do psicólogo, o IX Plenário do Conselho Regional de Psicologia 10ª Região Pará/Amapá, na perspectiva da promoção e defesa de nossa ciência e profissão, reafirma o seu compromisso com a defesa do Estado Democrático de Direito e a promoção da Justiça Social. Além disso, o CRP 10 chama psicólogas e psicólogos do Pará e Amapá para o aprofundamento do diálogo com a categoria e outros atores imbuídos dos mesmos propósitos, visando a qualificação do nosso protagonismo neste desiderato.
 
 

PRESIDENTE
Luiz Romano da Motta Araújo

Clique para o
organograma completo


Clique aqui para conhecer nossas:
Comissões Especiais
Grupos de Trabalho

AGENDA
DO CONSELHO


Roda de conversa "Um olhar sobre a interdisciplinaridade no Creas"
03/03/2018
O evento é gratuito e aberto a quem tem interesse pelo tema.

Reunião "Ano da formação em Psicologia: propostas para as novas diretrizes curriculares da graduação em Psicologia"
28/02/2018
A reunião é gratuita e aberta.

Roda de Conversa "Fevereiro de todas as cores. Saúde mental de todos os dias"
16/02/2018
Estão abertas as inscrições para a Roda de Conversa "Fevereiro de todas as cores. Saúde mental de todos os dias", que será realizada no dia 16 de fevereiro, das 9h às 12h, na Escola de Administração Penitenciária, em Belém.